in ,

Casa Hermann revisita Movimento Constitucionalista de 32

Casa Hermann revisita Movimento Constitucionalista de 32

Casa Hermann revisita Movimento Constitucionalista de 32

A Secretaria de Cultura e Turismo de Americana realiza, até o dia 02 de agosto, a exposição “Verás que um filho teu não foge à luta: os villamericanenses na Revolução Constitucionalista de 32”, na Casa de Cultura Hermann Müller. A entrada é gratuita, e a mostra pode ser conferida de segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas.

 

A exposição faz um recorte na história para narrar o papel da cidade e dos americanenses no conflito que colocou São Paulo contra boa parte do Brasil e que questionava a legitimidade do então presidente da República, Getúlio Vargas. O movimento constitucionalista reivindicava a instauração de uma nova Assembleia Constituinte e a volta do Brasil à normalidade democrática. Apesar de derrotados militarmente, logo após o término dos conflitos o governo federal convocou a assembleia, que culminou com a promulgação da Constituição de 1934.

 

Alguns historiadores rechaçam o termo revolução para designar o movimento porque, segundo eles, não havia o objetivo de modificar as relações de poder dentro da sociedade, mas o de normatizar a legislação e o processo eleitoral. Em alguns aspectos, tinha um caráter até conservador, com uma elite que aproveitou a situação para retomar a influência que tinha perdido no governo Vargas.